sábado, 24 de outubro de 2009

Companheira indesejada

Ela vem e vai. Chega sem ser convidada e é uma visita totalmente indesejada. É daquelas que quando chegam se sentem em casa e não percebem a hora de ir.

Tem dias que ela não me deixa nem ao menos, ter vontade de levantar da cama. E quando eu reúno forças para levantar, ela sobe sobre o meu ombro e me deixa tão pesada, que ando toda curvada, olhando para o chão. Porque é no chão que eu me sinto quando ela está comigo.

Lidar com ela é muito difícil. Ela me sufoca e não me deixa respirar. Ela tapa meus olhos e eu não consigo enxergar beleza em mais nada.

Quando ela está comigo eu não consigo ser alegre. Não consigo rir das coisas e todos os meus problemas se tornam maiores, porque ela sempre traz consigo uma lente de aumento própria para as coisas ruins, que aumenta os problemas e desfoca as soluções.

É preciso muita força para me livrar dela, porque ela é insistente e faz de tudo para não me deixar. Sempre que enxergo uma luz, ela voltar com força a tapar minha visão.

Mas com muito esforço, consigo me ver livre. E o mundo todo volta a ter sentido.

Minha postura muda. Eu enxergo as cores, as formas. Sinto plenamente os cheiros e tudo isso faz eu me sentir a pessoa mais feliz que existe.

A lente de aumento foi tirada dos meus olhos. Não vejo meus problemas nem maiores, nem menores, mas os enxergo da maneira correta e com isso, entendo que posso passar por eles. Sem essa lente que distorcia as coisas eu vejo como tenho coisas boas na minha vida e me sinto forte pra seguir em frente.

E depois prometo nunca mais deixar a insegurança tomar conta de mim.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Eu nem te amo mais

Ontem eu disse que ainda te amava. Mesmo não estando com você há dois anos. Mesmo depois de todo esse tempo, eu disse que ainda te amava.

Mas eu não sei se é amor o que eu ainda sinto.

Na verdade, acho que o sinto é ódio. Não dizem que o amor e o ódio, andam lado a lado, então! Acredito que o sentimento que anda ao meu lado, é o ódio.

Ódio por tudo o que você jogou fora.

Ódio por você abrir mão de tudo o que nós tínhamos. Tudo o que planejávamos. Tudo o que sonhávamos.

Ódio por você ter sido tão fraco e não ter lutado pelo nosso amor.

Eu odeio você por não ter conseguido amar mais ninguém. Odeio, principalmente, por não acreditar que eu possa gostar de alguém como gostei de você, mesmo que eu evite admitir isso.

Te odeio a cada noite que eu passo em casa, por não ter mais saco pra sair, por achar todo mundo vazio e sem graça.

Odeio você também a cada noite que eu resolvo ir para alguma balada e tenho que agüentar homens imaturos e gente desesperada por um pouco, de um falso amor.

Ódio por cada beijo que eu dou e fico comparando com os seus. Por cada transa sem amor e por cada homem que não me faz sentir nem 10% do prazer que eu sentia com você.

Você destruiu meus sonhos.

Nos nossos planos, hoje estaríamos casados. Eu estaria provavelmente grávida. Teríamos nossa casa. Aquela com tijolinhos lembra?

Acordaríamos tarde no fim de semana. Tomaríamos café, depois transariamos na mesa.

Iríamos andar no parque, com nossos cachorros. Sairíamos com os amigos, para beber cerveja e quando já estivéssemos bêbados, iríamos embora direto para algum novo motel.

Nossa vida seria perfeita e eu seria a pessoa mais feliz do mundo.

Mas nada disso aconteceu. NADA.

Hoje eu não sou a pessoa mais feliz do mundo. Sou a pessoa que se sente mais sozinha no mundo.

Você era tudo o que eu sempre quis e você me completava. Mas hoje a única coisa que posso fazer e me contentar com uma vida com sentimentos pela metade.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Coisas que só acontecem comigo???

Percebi que estou realmente na seca depois de ter pensamentos eróticos com o meu cabeleireiro, enquanto ele tratava o meu cabelo.
É que ele é tão sexy. Todo cult. Usa calça social com tênis. Tem um cabelo enrolado, meio grandinho, meio armadinho que me dá uma vontade louca de enfiar a minha mão ali no meio e dar um puxão enquanto encaro aqueles olhos verdes, lindos.
Ele tem cara de que é muito bom de cama. Não daquele jeito animal, que vai te jogar na parede (que eu ate gosto), mas de um jeito sexy, que parece que vai te deixar louca só com uma pegada, com um beijo.
Fiquei ali pensando se tinha como a gente dar uma fugi;dinha para a sala de depilação. Será que alguém notaria???
Ele tinha que ser justo cabeleireiro? Se fosse esteticista, massagista ou qualquer coisa do tipo, ficaríamos apenas nos dois, numa sala fechada e então eu ia poder beijar aquela boca, agarrar aquele cabelo, beijar aquele pescoço... Ai ai, Dona Mendy, a senhora anda ficando louca, obsessiva e ninfomaníaca.
Será que eu consigo passar por uma coisa corriqueira como cortar o cabelo, sem ficar imaginando “coisas”?
Contando: 1, 2, 3 – respiração profunda. Pronto, me centrei. Passou.
Ah! Semana que vem vou fazer uma hidratação no cabelo. É sério! Estou precisando...

sábado, 17 de outubro de 2009

Como não tentar enganar uma mulher

Não precisa me abraçar, dizer que sentiu saudades, eu sei exatamente o que você quer porque eu quero a mesma coisa.

Não precisa ficar dizendo que quer “ficar tranqüilo com alguém”, porque não seria tranquilo estar ao seu lado.

Não precisa me dizer que vamos para a sua casa assistir um filme e conversar só para me convencer. Não sou mais criança e sei que a ultima coisa que vamos fazer é assistir a algum filme e as únicas coisas que vão conversar serão nossos corpos.

Não precisa dizer o quanto foi bom, porque eu nem ao menos dei o meu melhor, nem tampouco fiquei me preocupando com o que você iria pensar, sentir ou achar.

Não precisa me abraçar e colocar a minha cabeça no seu peito, nem precisa ficar acariciando as minhas costas. Meu coração já está cheio e só com uma pessoa eu me sentia plena nesse momento.

Não precisa me fazer carinho o caminho todo ate a minha casa, nem beijar a minha mão, nem ficar me mostrando como se lembra que fez aquele caminho há dois anos atrás, por que eu sei que você se lembra, das ruas, do meu corpo, dos faróis, do motel, do bar perto da minha casa, do caminho até a minha casa, do caminho até o meu orgasmo, mas não se lembra das conversas que antecederam tudo isso (mas tudo bem, eu também não me lembro).

Não precisa me fazer prometer que terão mais vezes, porque sexo a gente encontra em qualquer lugar e você não vai querer me convencer que achou tudo tão espetacular que resolveu que quer ficar só comigo neh?

E não, não precisa fingir que quer outra coisa, se não o mesmo que eu: Preencher um vazio, mas pelo caminho errado.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Traumas superáveis

Eu sempre gostei de ler e principalmente de escrever. Escrevo sobre minha vida desde os 11 anos, acho.

Uma época eu comecei a ler aqueles romances “Sabrina”, sabe? Me empolguei e comecei a escrever um romance também. Eu devia ter uns 12 anos, por aí.

Já tinha escrito algumas páginas, quando a Senhora minha mãe resolveu ler, sem o meu consentimento. Um dia ela veio me perguntar o que eu tava fazendo e eu disse que estava escrevendo um livro. Ela me perguntou qual era o segredo do personagem principal e eu disse que ele era casado (pode parecer bobo, mas eu tinha 12 anos, era o máximo de criatividade que eu podia ter naquele época). Ai ela riu. Não me lembro das palavras dela, só que ela quis dizer que era bobo, uma coisa assim. Sei que ela me traumatizou, seriamente. Eu, claro, não dei mais continuidade àquela história e a mais nenhuma. Continuei a escrever meus diários, mas nunca quis tentar dar forma, ao que eu escrevia.

Agora, depois de uns treze anos é que eu voltei a escrever. Definitivamente abandonei a idéia de tentar escrever histórias que não fossem as minhas, mas já começo a tentar “emoldurar” minhas palavras.

Tenho o sonho de publicar um livro. Quero que as pessoas, quando lerem o que eu escrevo, se familiarizem com as minhas histórias, e que de alguma maneira, se sintam minhas amigas. Se eu conseguir que isso aconteça com uma pessoa só, eu já fico feliz. E não é demagogia.

Ainda tenho um longo caminho. Preciso aprender mais gramática, melhorar e aumentar meu vocabulário, mas eu chego la.

Obrigada a todos que entram nesse blog e perdem um tempo lendo meus textos e agradeço aqueles que comentam também. Isso me ajuda muito.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Quem espera,sempre alcança?????

Eu estou cansada de estar sozinha!

E esse cansaço me deixa muito carente. E a carência faz eu me envolver com pessoas que eu não queria mais, e pior, me faz inventar “sentimentos” que não existem.

Eu to a própria “Fernanda”, daquela peça: “Os homens são de marte e é pra lá que eu vou...” Basta alguém me dar um sorriso, um carinho a mais e eu já me apaixono, já começo a sonhar e essa pessoa não sai mais da minha cabeça. Que inferno!!!!!!!! Coisa de louca!

Me sinto ridícula, mas deito na cama e fico me imaginando com pessoas basicamente impossíveis. Me imagino casando, mega feliz. Imagino como nos conhecemos, quando resolvemos namorar, quando ele me pediu em casamento. Visualizo a cerimônia, o meu vestido, a casa onde vamos morar, os móveis, sei quem são minhas madrinhas. E as pessoas que fazem o papel de meu par nesses devaneios, vão desde o Robert Pattinson, até o Danilo Gentili...

Ai, ai eu sou patética! Sou uma mulher de 25 anos, bem resolvida, com um bom emprego, independente, não posso ficar agindo como uma adolescente desmiolada.

Mas é que eu estou tão cansada dessa solidão que prefiro inventar mesmo, fantasiar, pra ver se essa espera fica um pouco menos dolorida.

Contador de Visitas
Downloads
Vivendo e aprendendo a jogar....: Outubro 2009